Ações preventivas em quedas de diferença de nível

Home / Ações preventivas em quedas de diferença de nível

Quedas em diferenças de nível são a segunda maior causa de mortes em acidentes do trabalho no Brasil. De 2013 a 2017 ocorreram cerca 208.350 acidentes com quedas, sem contar os casos não registrados, totalizando em 1.033 mortes e milhares de incapacitados. Serventes de obras e pedreiros estão entre as maiores vítimas desses acidentes.

A maioria dos casos envolvendo esses acidentes são fruto de descumprimento de normas básicas de segurança. Por essa razão, foram estabelecidos parâmetros de segurança como forma de prevenção de acidentes, as chamadas Normas Regulamentadoras (NRs). Diferente da NR-18, que determina regras para trabalhos em telhados e coberturas, a NR-35 estabelece condições adequadas para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos, direta ou indiretamente, com trabalhos executados acima de 2 metros do nível inferior, onde existe o risco de queda.

A norma estabelece os requisitos mínimos, exigindo o planejamento, com análise de riscos e de condições do local de trabalho, a organização e a execução do trabalho. Com o intuito de garantir que as obras sejam executadas de forma segura, separamos 3 dicas de ações preventivas para evitar acidentes em quedas de diferença de nível no seu canteiro de obras. Confira a seguir:

Medidas de prevenção de acidentes

É possível reduzir os riscos e índices de acidentes em quedas de diferença de nível através de um gerenciamento mais eficiente e consciente, buscando identificar os riscos do processo de trabalho em altura, verificando e inspecionando as condições de trabalho, divulgando informações referentes à segurança e a saúde no canteiro de obras, entre diversas outras atribuições. A NR-35 estabelece uma série de resoluções que devem ser consideradas pensando nessa prevenção, são eles:

  1. Supervisão e Análise de riscos

Todo trabalho executado em altura deve ser precedido por análise de risco. O local em que os serviços serão executados e seu entorno devem ser supervisionados, a fim de serem observados possíveis motivadores de queda, como condições meteorológicas, rede elétrica com risco de choque elétrico, distância de queda livre, também deve se considerar o risco de queda de materiais e ferramentas.

2. Sistemas de proteção

Devem ser adotados sistemas de proteção coletiva e individual, que garantam redução do impacto em possíveis acidentes e diminuam os fatores de queda, o trabalhador deve permanecer conectado ao sistema de proteção durante todo o período de execução do trabalho em altura. Esses equipamentos devem ser sempre inspecionados.

Os sistemas de proteção são fundamentais para manter a saúde e proteção do trabalhador e devem ser utilizados durante todo o expediente de trabalho no canteiro de obras. Os sistemas de proteção devem atender às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto. Sendo alguns desses sistemas:

a) Sistema de ancoragem: os pontos de ancoragem sãoestrategicamente fixados nas estruturas da edificação viabilizando o acoplamento de cordas, cabos e equipamentos de proteção coletiva e individual. São alguns deles:

  • Linhas de vida;

Andaimes;

Cadeiras suspensas;

Escadas marinheiro.

b) Elemento de ligação: responsável porgarantir que o impacto transmitido ao trabalhador na retenção de uma queda seja de no máximo 6 kilo Newtons.

c) Equipamento de proteção individual (EPI):  Certifique-se da utilização de EPIs pelos seus funcionários. Os equipamentos devem estar adequados ao peso e à altura do trabalhador e só serão eficazes considerando seu limite de uso.

3. Os trabalhadores

São eles quem executam os trabalhos em altura, portanto, são os maiores interessados na prevenção de quedas e acidentes. Uma das melhores maneiras de evitar acidentes é instruí-los sobre os riscos e sobre a importância dos equipamentos de segurança.

É importante conscientizar os colaboradores e estimular a prevenção de acidentes. Realizar reuniões e manter uma boa comunicação com os funcionários da obra é uma ótima maneira de conhecer suas dificuldades, necessidades, mapear os riscos existentes e neutralizá-los. Essas medidas de prevenção evitam acidentes graves no canteiro de obras. Desta forma, fica claro que é essencial tomar medidas de conscientização e qualificação dos funcionários e dar preferência por equipamentos de qualidade dentro da construção civil. Afinal, garantir a segurança do seu funcionário é uma medida importantíssima para assegurar a produtividade e qualidade da sua obra, mas também para o cumprimento das leis trabalhistas. Por isso, verifique todas as regras e normas, para garantir a segurança no seu canteiro de obras, evitando prejuízos humanos e financeiros.  Gostou dessas dicas? Continue nos acompanhando e saiba ainda mais sobre segurança na construção civil!

Compartilhe o post:

(Visited 814 times, 9 visits today)

About Author

3 Comments
  1. Considerações básicas no isolamento de área sujeita à queda de materiais | Blog da Metroform

    […] os riscos mais alarmantes inseridos no setor da construção civil, estão os acidentes de queda de nível e também de quedas de materiais. Desse modo, para que haja controle e prevenção destes riscos, […]

  2. Segurança: a importância do uso da linha de vida na construção | Blog da Metroform

    […] Com isso, para que o trabalho em altura na construção seja eficiente, assegurando o bem-estar de todos os trabalhadores, os Equipamentos de Proteção Coletiva se tornam indispensáveis e, entre os principais deles, destaca-se a linha de vida, um dos únicos equipamentos que realmente evita fatalidades em casos de quedas de altura. […]

  3. Acidentes mais comuns na construção civil | Blog da Metroform

    […] abordamos aqui no blog as principais ações preventivas em quedas de diferença de nível, uma das principais causas de mortes no canteiro de obras. Mas, além das causas mais conhecidas, […]

Deixe uma resposta

shares