Categoria: Sustentabilidade

Home / Categoria: Sustentabilidade

Certificação LEED: conheça os benefícios

3 de fevereiro de 2020 | Normas, Sustentabilidade | Nenhum comentário

A sustentabilidade passou a ser questão de responsabilidade social. O público, em geral, está muito mais ligado às questões socioambientais, por isso, diversos setores tem buscado cada vez mais adotar práticas sustentáveis e tem ganhado muito com isso, tanto que, segundo um levantamento feito em 2017 pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com a Fundação Brasileira dos Bancos (Febraban), mais de 10% das carteiras dos bancos brasileiros já correspondem a empresas que colocam essas preocupações entre as prioridades.

E no setor da construção civil não podia ser diferente. Você que nos acompanha sabe que a construção civil é uma das grandes responsáveis pela poluição, através de produção de resíduos e o grande consumo de insumos, como a água, mas isso está mudando. Você já conhece as principais ações para uma construção sustentável, que tal conhecer um sistema de classificação de construções verdes e seus benefícios?

Leadership in Energy and Environmental Design, LEED, como é conhecida, é um sistema de classificação de construções sustentáveis criada pelo United States Green Building Council (USGBC) em 1993. Essa certificação, hoje mundialmente reconhecida, foi criada com o intuito de promover e incentivar práticas sustentáveis na construção civil e contempla um sistema abrangente de padrões englobam todos os aspectos dentro de projetos de construção civil, do processo de desenvolvimento até a construção.

Benefícios da certificação LEED

A certificação LEED exige que sejam cumpridos uma série de requisitos, no entanto, os benefícios são enormes. Vamos conhecer alguns:

Econômicos

  • Diminuição dos custos operacionais
  • Diminuição dos riscos regulatórios
  • Valorização do imóvel
  • Modernização e menor obsolescência da edificação

Sociais

  • Melhorias na segurança e saúde dos trabalhadores durante a execução das obras
  • Inclusão social e aumento do senso de comunidade
  • Capacitação profissional
  • Conscientização de trabalhadores e usuários
  • Incentivo a fornecedores com maiores responsabilidades socioambientais
  • Aumento da satisfação e bem estar dos usuários
  • Estímulo a políticas públicas de fomento a Construção Sustentável

Ambientais

  • Uso racional e redução da extração dos recursos naturais
  • Redução do consumo de insumos, como água e energia
  • Implantação consciente e planejada
  • Mitigação dos efeitos das mudanças climáticas
  • Uso de materiais e tecnologias de baixo impacto ambiental
  • Redução, tratamento e reuso dos resíduos da construção e operação.

O que achou da certificação LEED? Em 5 passos você também pode adquirir a certificação da sua obra:

1-        Registro do projeto junto ao USGBC via plataforma LEED online: https://lo.usgbc.org/

2- Coleta de informações pelo time de projetos:Os pré-requisitos e créditos do LEED devem ser documentados ao longo das etapas do projeto e obra, juntamente com formulários padronizados, com cálculos e evidências.

3- Submissão: Com o material reunido, o administrador do projeto deve submeter a documentação a análise. A documentação deve ser submetida em duas etapas, a primeira após o projeto e a segunda etapa após a construção final.

4- Análise da documentação: O material será analisado e se necessário serão solicitadas informações adicionais ou esclarecimentos

5- Certificação: Após a análise final, o projeto então receberá uma pontuação, sendo:

  • Certified: de 40 a 49 pontos
  • Silver: de 50 a 59 pontos
  • Gold: de 60 a 79 pontos
  • Platinum:  80 pontos ou mais

Como você pôde ver, a Certificação LEED possui muitos requisitos. Uma construção verde considera, além dos sistemas construtivos e materiais, detalhes que contemplam desde o design até o projeto de engenharia. É preciso levar o meio ambiente em conta em cada detalhe do projeto, considerar os impactos ambientais a longo prazo, planejando uma arquitetura inteligente, pensando na eficiência energética da obra. Gostou desse conteúdo? Fique por dentro de mais assuntos relacionados a sustentabilidade e boas práticas na construção civil. Continue acompanhando nosso blog e baixe nossos materiais gratuitos!

Como já dissemos em blogs anteriores, a preocupação com a sustentabilidade é uma responsabilidade de todos os setores do mercado, inclusive da construção civil – já que é um dos setores que mais polui o meio ambiente.

Com isso, novas tecnologias e materiais vem surgindo para suprir a necessidade de reduzir estes impactos ambientais e tornar o trabalho dentro do canteiro de obras mais sustentável e consciente. Ficou curioso para saber como tornar os seus empreendimentos mais ecologicamente corretos? Conheça as principais ações!

Reuso de materiais

Além de gerar uma economia ao empreendimento, o reúso de materiais ajuda a reduzir o acúmulo de resíduos no canteiro de obras. Um bom exemplo disso é o uso do cimento reciclado, que auxilia a diminuir os resíduos, e também o sistema de captação de água da chuva, em que é possível reutilizar água de torneiras e chuveiros durante a obra, para fins não potáveis.

Iluminação e ventilação natural

Com a elaboração do projeto adequado é possível favorecer a ventilação e a iluminação natural, o que, consequentemente, reduzirá o uso de eletricidade. Para isso, analisar a incidência de vento é fundamental, além disso, investir em ambientes envidraçados e telhas transparentes, distribuindo-os de forma inteligente, pode ser uma medida muito apropriada para o projeto, tornando todo o empreendimento mais sustentável.

Administração adequada de resíduos

Os cuidados com o gerenciamento correto dos resíduos devem ser mantidos durante todo o processo de construção. Desse modo, o uso de caçambas é um ótimo recurso em construções pequenas para o descarte correto dos materiais inutilizáveis – que devem ser em aterros adequados ou encaminhados para locais de triagem.

Já em situações de empreendimentos maiores, é fundamental que as construtoras invistam em programas de gestão ambiental para que haja a separação correta de resíduos durante todo o trabalho.

Investimento em novas tecnologias

O uso de tecnologias como softwares para auxiliar na gestão do projeto, além de contribuir para a sustentabilidade dentro do canteiro de obras, ajuda também a reduzir o custo final da obra. Isso porquê, com a utilização de certos programas é possível fazer o cálculo exato da obra, estipular o prazo adequado, evitar situações de desperdícios e utilizar ferramentas e demais recursos sustentáveis no empreendimento.

Investir em sustentabilidade e a adotar práticas mais conscientes no canteiro de obras é muito importante para que todo o trabalho seja melhorado e, assim, reduzir os impactos ambientais. Conheça mais medidas sustentáveis acompanhando o nosso blog e baixando os nossos materiais gratuitos!

A sustentabilidade na construção civil propõe a redução da produção de resíduos, a utilização com eficiência de materiais e recursos naturais e a busca por materiais que não agridem o meio-ambiente. Esses materiais são desenvolvidos com base na durabilidade, eficiência e economia. Conheça a seguir 5 opções mais sustentáveis para a construção civil!

Materiais biodegradáveis

  • Tinta biodegradável

No que diz respeito ao acabamento de obras, ainda é comum nos depararmos com materiais e substâncias, como tintas, colas, impermeabilizantes e solventes, desenvolvidos a partir de componentes altamente tóxicos e poluentes, sendo prejudiciais tanto para o meio ambiente, quanto para a saúde de quem lida com esse tipo de material.

Diferente da tinta convencional que possui um alto teor de epicloridrina e Bisfenol A, além de inúmeras outras substâncias tóxicas, a tinta biodegradável é produzida a base de óleos vegetais, que não são nocivos ao ambiente ou ao homem. Outra opção para pintura é a tinta Mineral Natural, feita a partir de erra crua e emulsão aquosa, livre de composto orgânico volátil, biocidas e corantes.

  • Lâmpadas de LED

Além da alta durabilidade, a lâmpada de LED gera menos calor do que as lâmpadas convencionais. Enquanto a lâmpada incandescente e a fluorescente emitem 20% de luminosidade e 80% calor, o LED emite 95% de luminosidade e somente 5% de calor.

Ou seja, além de mais eficiência, ela gera economia com refrigeração, já que, ao produzir menos calor o ar-condicionado gastaria menos energia para manter o ambiente refrigerado.

  • Bio-concreto

O concreto é um dos materiais que mais gera resíduos na construção civil, a solução para esse problema se chama Bio-concreto.

Desenvolvido na Europa, o Bio-concreto  é feito a partir de bactérias capazes de sobreviver em ambientes de pH alto, como é o caso do concreto. Esses microrganismos permanecem inativos até que são ativados pela presença de umidade, que acontece quando o concreto racha e a água penetra. A digestão, de lactato de cálcio, dessa bactéria libera calcário que preenche o espaço da rachadura fazendo com que o concreto se regenere.

O bio-concreto pode recuperar rachaduras de qualquer comprimento e com largura de até 0.8 milímetros, basta pulverizar uma substância que contenha as bactérias e o lactato de cálcio na área. 

Apesar de ainda não ter chegado no Brasil, essa tecnologia representa um enorme avanço na construção civil, pois aumenta a durabilidade e a qualidade das construções, além de contribuir com a redução de resíduos.

  • Tijolo ecológico

Os tijolos ecológicos se diferem dos tijolos comuns tanto no processo de fabricação, quanto nos materiais. Ao contrário dos tradicionais, que são queimados em um forno e geram gases poluentes, os eco-tijolos são compactados e moldados em uma prensa hidráulica.

Além do mais, os tijolos ecológicos são produzidos a partir de resíduos de construção e tijolos de adobe, uma mistura de água, terra e fibras naturais, resíduos orgânicos, como bagaço de cana, que são uma opção muito sustentável.

  • Escoras metálicas

Diferente das escoras de madeira, que costumam ser fabricadas sem certificação e geram uma grande quantidade de resíduos em sua confecção, os sistemas metálicos são produzidos de forma segura e ecologicamente correta.

Leia mais em nosso blog: Escora metálica ou escora de madeira?

Além de serem mais seguros, por serem desenvolvidos a partir de um material mais seguro e resistente, as escoras metálicas também podem ser reutilizadas e recicladas até o fim de sua vida útil.

Realizar uma construção sustentável vai muito além de usar alguns materiais ecologicamente corretos. É preciso levar o meio ambiente em conta em cada detalhe do projeto e pensar a longo prazo, planejando uma arquitetura inteligente, pensando na eficiência energética da obra, sobretudo, buscando economia.

Gostou desse conteúdo? Fique por dentro de mais assuntos relacionados a sustentabilidade e boas práticas na construção civil. Continue acompanhando nosso blog e baixe nossos materiais gratuitos!

Por ser o setor que mais consome recursos naturais do planeta, a adoção de soluções mais sustentáveis para a construção civil tem sido cada vez mais cobrada pela sociedade em geral. Entretanto, ainda há muito debate em relação ao tema e também um grande questionamento se todas as medidas ecologicamente corretas voltadas para construções geram apenas gastos ou se há realmente um retorno do investimento feito.

Por esse motivo, reunimos neste artigo alguns aspectos importantes relacionados a sustentabilidade na construção civil para que você possa observar se na sua realidade atual ela se torna um gasto desnecessário ou investimento indispensável para os seus empreendimentos. Continue a leitura e confira!

O que é uma construção sustentável?

Uma construção se torna sustentável quando o projeto e sua execução são baseados em soluções para reduzir os impactos ambientais. Sendo assim, em todas as etapas construtivas (projeto, execução, ampliação, reforma ou demolição) é implantada modificações conscientes e ecologicamente corretas, tornando o empreendimento uma construção sustentável.

Suas principais vantagens

Muitas vezes, a sustentabilidade na construção é vista como um recurso de custo alto, entretanto, além de algumas ferramentas, técnicas e materiais serem mais baratas, há outras que, mesmo com um valor um pouco mais elevado, torna o empreendimento um excelente custo-benefício quando analisado as vantagens e todo o retorno do investimento.

Portanto, para que fique claro que apostar em sustentabilidade pode trazer diversos benefícios, listamos as principais vantagens de um empreendimento ecologicamente correto. Acompanhe:

  • Valorização do imóvel

A aplicação de práticas sustentáveis na construção colabora diretamente para a valorização do imóvel. Segundo pesquisas feitas pelo Sebrae, um empreendimento ecológico tem seu custo total um pouco mais elevado (cerca de 1% a 7%), entretanto, o seu valor no mercado tem uma valorização de aproximadamente 10% para a venda. 

  • Economia de energia

Apesar de algumas soluções para redução do consumo de energia elétrica serem um pouco mais “caras”, todo o gasto é compensado na economia da conta de luz. Entre os métodos mais utilizados, está o aquecimento solar, onde seu sistema de placas capta a irradiação do sol e transforma em energia térmica.

  • Economia e reaproveitamento de água

Um empreendimento durante a etapa construtiva exige uma boa quantidade de água, o que leva mais gastos a obra. Com isso, ao adotar soluções sustentáveis, é possível economizar na fase de construção utilizando recursos como o concreto sustentável (que requer de menos água), e também após a entrega, com um sistema hidráulico de qualidade, em que é feita a captação de água proveniente de chuvas, podendo usá-la para limpeza, regar plantas, etc.

  • Isenção Tributária

Existem diversos incentivos fiscais para que construtoras, incorporadoras e afins, adotem medidas sustentáveis para suas obras. Um deles é o IPTU Verde, já previsto por lei, para que municípios ofereçam descontos de 5% a 20% na taxa de IPTU para construções ecologicamente corretas.

Em vista disso, ao observar as vantagens e os valores aplicados para se ter uma construção ecologicamente correta, constata-se que as medidas podem ser vistas mais como um investimento do que como um gasto. Uma vez que, mesmo alguns recursos apresentarem valores mais elevados, todo o valor é retornado com:

  • Economia de energia e água,
  • Redução de custos operacionais da obra e principalmente com reformas,
  • Contribuição com o meio ambiente devido à diminuição de gases de efeito estufa, além da economia com descarte excessivo de resíduos. 

Esteja por dentro de mais assuntos relacionados a sustentabilidade e boas práticas na construção civil. Continue acompanhando nosso blog e baixe nossos materiais gratuitos!

No setor da construção civil, o fator da sustentabilidade se encontra precário quando se analisa os grandes impactos que este mercado ainda causa ao meio ambiente. Com isso, atualmente existe um elemento que vem causando ainda mais preocupação por contribuir para o agravamento do problema: o crescimento acelerado da população e a alta demanda por moradias. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) estima-se que a população mundial deverá chegar a 9 bilhões de pessoas até 2050 e, só no Brasil serão necessárias 23 milhões de novas moradias.

Vale lembrar também que o mercado da construção civil é um dos que mais causa impactos ambientais a longo prazo, em que isso se estende desde a extração de materiais até o fim dos produtos construídos. E, devido a esta alta demanda de edificações que deve crescer nos próximos anos, observa-se então o quanto as construtoras e demais empresas que atuam no ramo, devem se preocupar com o fator da sustentabilidade em sua cadeia produtiva. E para que haja melhorias neste aspecto é preciso conhecer onde mais há impactos negativos. Entre eles, observamos:

  1. A construção civil é responsável por 40% de todos os resíduos produzidos pela sociedade;
  2. No que envolve o consumo total de água, só este setor é responsável por um consumo de 12%;
  3. Entre a emissão de gases de efeito estufa, a produção de cimento é responsável por 5%;

Com estes dados alarmantes e com a atual situação de nosso planeta – com tantos fenômenos ambientais e diversas consequências do efeito estufa -, constata-se que a indústria da construção necessita buscar práticas sustentáveis, mas que sejam viáveis economicamente e também que não interfira na produção.

Implantando a sustentabilidade em seu canteiro de obras

Segundo especialistas em gestão de obras sustentável, a sustentabilidade em uma edificação se inicia logo no projeto e se expande até o pós-obra. Com isso, entre as medidas a serem adotadas, é preciso:

  • Projetos mais flexíveis, sendo possíveis adaptações para se evitar demolições e muitas reformas;
  • Descarte correto dos resíduos;
  • Compra de materiais que realmente serão usados, evitando desperdícios e descarte desnecessário de recursos que não serão aproveitados;
  • Busca pelo uso de energias renováveis;
  • Procura por um uso mais ecológico de água;
  • Diminuição de materiais que causam grande impacto ambiental – a tecnologia BubbleDeck é um bom exemplo de medida a ser adota pelas construtoras;

Adotando estas medidas, os impactos serão bem menores ao meio ambiente. Já sabemos que a sustentabilidade deve estar sempre presente nos debates e planejamentos das construções, nosso planeta necessita de uma atenção especial e é nossa a responsabilidade de procurar as melhores medidas para as nossas edificações. Por isso, analise suas condições e busque soluções sustentáveis para o seu canteiro de obras.

A dor de perder alguém muito próximo em algum acidente de trabalho é algo que muitas famílias vivenciam. Segundo dados levantados pelo INSS, são registradas mais de duas mil mortes por ano devido alguma falha ocorrida por acidente no ambiente laboral. E, na maioria dos casos os motivos são decorrentes ao descumprimento das ações estabelecidas nas Normas Regulamentadoras e pela falta de equipamentos de segurança.

Devido aos frequentes registros de doenças e óbitos no ambiente de trabalho, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), no ano de 2003, estabeleceu o dia 28 de abril como o “Dia Mundial da Segurança e Saúde do Trabalho”, referindo-se ao grave acidente ocorrido em Virginia (EUA), no ano de 1960, onde 78 pessoas morreram devido a uma explosão na mina onde trabalhavam.

No Brasil, a ação tomou força em 2005, gerando o movimento “Abril Verde”. E, através da Lei nº. 11.121, estabeleceu-se dia 28 o “Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho”. A cor verde faz referência a área da saúde e o foco principal do movimento é gerar debate sobre as medidas preventivas e conscientizar a população sobre a importância dos equipamentos de segurança no ambiente laboral.

No que envolve o setor da construção civil, os acidentes que acontecem frequentemente são devido a quedas, cortes e lacerações. Além deles, há também altos índices de trabalhadores com doenças ocasionadas por exposição ao sol, ruídos e poeiras, devido ao trabalho sem proteção. Sendo assim, destaca-se a importância do movimento e da conscientização para garantir mais segurança a todos os trabalhadores dentro de um canteiro de obras.

Aderir a campanha é uma atitude essencial não só da gestão e demais proprietários do empreendimento, mas também de todos os trabalhadores para que todos saibam seus direitos e deveres e não coloque nenhuma outra pessoa em risco. Desse modo, no que envolve a segurança na construção civil, existem pautas a serem discutidas e que não podem passar por despercebidas, como:

  • A importância de seguir as Normas Regulamentadoras;
  • A avaliação dos fatores de risco;
  • A relevância da criação do CIPA- Comissão Interna de Prevenção de Acidentes;
  • A importância dos equipamentos de proteção coletiva e individual;
  • Armazenamentos correto de materiais e equipamentos;
  • Implementação da cultura preventiva.

Através da discussão e execução das ações preventivas, o trabalhador fica isento dos riscos e pode trabalhar com mais tranquilidade. Sendo assim, aderir ao movimento não é apenas uma atitude responsável, mas também humana, garantindo a todos os colaboradores sua integridade física e mental tão importante no ambiente de trabalho. Conscientize sua equipe, faça parte do movimento “Abril Verde”!