Construção civil: como alocar riscos nos contratos de concessão

Home / Construção civil: como alocar riscos nos contratos de concessão

No geral, contratos de concessão não exigem projetos extremamente detalhados. Ainda que envolvam a execução de obras, a legislação exige apenas um anteprojeto, que é mais genérico e têm foco no alcance de resultados. No entanto, conforme determinado, os programas de concessão são baseados no desenvolvimento de alguns estudos, entre eles a Matriz de risco para alocação de riscos. Vamos conhecer um pouco mais sobre essa ferramenta?

Matriz de risco

A matriz de riscos é um elemento crucial na alocação de riscos. A ferramenta é um método visual que não só evita prejuízos, como garante a utilização de materiais de qualidade, bem como métodos construtivos mais eficazes. Essa ferramenta de gerenciamento permite ampliar a visibilidade de possíveis riscos, gerenciar prioridades e dimensionar a gravidade de eventuais ameaças, com o objetivo de auxiliar os gestores na gestão dos riscos. Entre as inúmeras vantagens de desenvolver uma matriz de riscos podemos citar os seguintes pontos:

  • Proporciona uma compreensão geral dos riscos bem como uma visão geral do projeto e suas etapas;
  • Antecipação de riscos para atividades em que não é possível mensurar números, dados e consequências;
  • Possibilita o ajuste de critérios de riscos para corresponder às circunstâncias e etapas na construção;
  • Considera o máximo de variáveis possíveis.

Por meio dessa ferramenta é possível descrever a probabilidade de ocorrência de falhas e o nível de gravidade, sendo alta, média ou baixa, atribuindo uma pontuação de probabilidade e de gravidade a cada uma das ações. Uma vez estabelecidos esses critérios, determinar eventuais incidentes, eventos ou condições específicas que representem riscos à obra ficará mais fácil.

A Matriz de riscos mostra sua eficiência no gerenciamento do risco a medida em que, além da prevenção, condiciona a minimização dos prejuízos. É importante ressaltar alguns pontos em relação à alocação de riscos no que se refere ao nível de detalhamento. Matrizes de riscos devem ser tão detalhadas quanto possível, no entanto, não é interessante ter projetos que apresentem riscos excessivos assim como uma matriz muito genérica, pois, se forem muito vagas e lacunosas podem gerar prejuízos.

Outra medida de antecipação de riscos é o seguro. Existem seguros no mercado que cobrem, além de riscos previsíveis, riscos inesperados, como roubos, acidentes ambientais, desmoronamento, entre outros.

A gestão de riscos por meio da matriz de riscos corresponde a uma medida preventiva que garante produtividade, eficiência e economia para sua obra. Continue acompanhando nosso blog para mais informações valiosas sobre Construção Civil e Saúde e Segurança do Trabalho!

Compartilhe o post:

(Visited 171 times, 1 visits today)

About Author

Deixe uma resposta

shares