Gestão de Processos na construção civil por meio de Fábricas Virtuais

Home / Gestão de Processos na construção civil por meio de Fábricas Virtuais

O mercado da construção civil passa por constantes mudanças que visam melhorar cada vez mais os resultados e otimizar os processos. Portanto, é sempre interessante se manter informado sobre as tendências e inovações para ter uma gestão de sucesso.

E para gerenciar de maneira mais efetiva, conheça a Fábrica Virtual. A Fábrica Virtual é uma metodologia que permite analisar e coordenar o processo de forma mais concreta.

Todas as etapas e entregas são mensuradas, podendo reconhecer os acertos e os gargalos da produção e facilitando o entendimento e as soluções para os problemas.

O modelo é composto por três etapas:

  1. Maturidade em Gestão
  2. Fator de Competitividade
  3. Operation Follow Up e Fábrica Virtual

ETAPA 1 – Maturidade em Gestão

É medida através de 5 faixas, representadas por cores diferentes. Cada faixa representa os níveis do processo, o amadurecimento da gestão, e são elas as faixas branca, amarela, verde, marrom e preta, respectivamente, que significam:

  • Branca: esta faixa representa a criação da base de gestão com foco em resultados.
  • Amarela: a faixa amarela representa o desenvolvimento do controle de processo.
  • Verde: a verde simboliza o controle estatístico do processo.
  • Marrom: esta faixa significa o controle de entrega e satisfação do cliente.
  • Preta: a faixa preta simboliza a alta velocidade e gerenciamento interfuncional.

ETAPA 2 – Fator de competitividade           

A etapa de fator de competitividade desenvolve a mensuração do valor agregado, relacionando o custo nominal e a capacidade de agregar valor do processo, através da Matriz de Valor Agregado, representada na figura abaixo.

Fonte: Centro de Estudos Avançados – Aquila Schweiz AG, Zurich – Copyright Instituto Auila 2017

Após a finalização do processo, será possível chegar ao valor agregado através de análise do índice de desempenho do processo, do monitoramento de indicadores e se a meta foi atingida.

A partir da conclusão do processo será possível identificar também o custo nominal e o custo real. É comum entre os dois custos haver uma lacuna, chamada de Desperdício. O Desperdício é calculado através da soma de Desconexões e Disfunções.

Fonte: Centro de Estudos Avançados – Aquila Schweiz AG, Zurich – Copyright Instituto Aquila 2017

As Desconexões e Disfunções podem ser apuradas a partir de situações como:

  • Sobreposições e duplicidade de funções
  • Não ter estrutura integrada
  • Grande quantidade de cargos de hierarquia alta
  • Ausência de funções fundamentais para que o trabalho seja exercido corretamente
  • Nomenclatura inadequada das áreas
  • Falta de clareza sobre as funções
  • Não seguir a estrutura regulamentada

A gestão do processo é considerada positiva quando há um equilíbrio entre o Custo Nominal e o Valor Agregado.

ETAPA 3 – Operation Follow Up e Fábrica Virtual

O Operation Follow Up e a Fábrica Virtual, diferente do que muitos pensam, deve ser um processo contínuo para que tenha resultados positivos.

A implantação do Operation Follow Up e Fábrica Virtual se divide em 5 etapas, são elas:

  • Organizar a estrutura de gestão
  • Modelar e gerenciando os processos de negócio
  • Garantir a conformidade do processo
  • Estabelecer a gestão corporativa dos processos
  • Aprimorar as tecnologias de BPM

 As Fábricas Virtuais estão cada vez mais presentes em construções civis devido às suas inúmeras vantagens. Adotando este modelo, seus processos podem ter benefícios como maior controle de erros, maior acesso a indicadores, qualificação dos funcionários e, consequentemente, resultados mais positivos.

Para saber mais sobre metodologias e tendências na área de construção civil, continue acompanhando nosso blog!

Compartilhe o post:

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares