Quem é o responsável em caso de tragédias em obras?

Home / Quem é o responsável em caso de tragédias em obras?

Quem é o responsável em caso de tragédias em obras?

14 de setembro de 2017 | Segurança na obra | Nenhum comentário

Sempre utilizamos este espaço para escrever sobre medidas de segurança para a construção civil, a fim de evitar acidentes e, principalmente, tragédias em obras. Mas, infelizmente, dados recentes da Organização Internacional do Trabalho (OIT) colocam o Brasil na 4ª colocação do ranking mundial de acidentes fatais de trabalho.

Leia também:  Quais medidas a serem tomadas em casos de acidente fatal em uma obra

Em 2013, segundo o Ministério da Previdência, foram 3.410 mortes em decorrência desse tipo de acidente. Do total, 451 ocorreram na construção, 162 (35% do total) delas por queda de pessoa ou objeto.

Contados os dias do ano trabalhados, são quase duas mortes diariamente. E um óbito a cada 36 horas por queda. Com isso, o risco de um trabalhador morrer na construção civil é mais do que o dobro da média!

Responsabilidade em caso de tragédias em obras

Mesmo com todo o cuidado, uso de EPIs e EPCs e outras medidas de segurança adotadas, os acidentes fatais na construção ainda são uma triste realidade brasileira.

Quando essas tragédias acontecem, geralmente quem responde por elas é o engenheiro responsável técnico da obra, o qual cabe administrar, entre outros, fiscalizações e normas.

Além da perda inestimável de vidas humanas, tragédias em obras podem resultar em ações criminais e no respectivo indiciamento de responsáveis, em autuações e embargos e no consequente atraso do cronograma dos trabalhos.

Soluções Metroform

Para que tragédias em obras não mais se repitam, as soluções Metroform, desenvolvidas com a mais alta tecnologia e obedecendo a rígidos padrões técnicos e de qualidade, mitigam completamente o risco de acidentes na construção civil.

Como um dos principais players do mercado de proteção coletiva do Brasil, nossa missão é garantir segurança, zelar pela vida e pela integridade física dos trabalhadores e reduzir o risco de sua empresa ter prejuízo por conta de acidentes e tragédias em obras.

Lembre-se: além dos equipamentos de segurança, o cumprimento de normas regulamentadoras são fundamentais evitar tragédias em obras. Gostou do texto de hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo!

Compartilhe o post:

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares